sábado, 25 de agosto de 2007

Padrões de citação em revistas médicas nacionais

O trabalho acima mostra que revistas médicas nacionais apresentam em suas citações, uma nítida preferencia - cerca de 86% - por artigos publicados em revistas não-Brasileiras. O estudo foi assinado por pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e foi publicado em 2006 no Brazilian Journal of Medical and Biological Research (vol 39, pag 997-1002).
.
O artigo por ser obtido, sem custos, no site do PubMed (1). Clique na imagem para ler o resumo do trabalho.
.
1: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/sites/entrez/

sexta-feira, 24 de agosto de 2007

“Na onda da vida” - ciência mineira em rádio e podcast

“Na onda da vida” é um programa de divulgação cientifica através do rádio que a partir de entrevistas com pesquisadores da área de Ciências Biológicas apresenta ao ouvinte novidades da ciência em uma linguagem simples.“Na onda da vida” é veiculado durante a programação da Rádio UFMG Educativa e vai ao ar 11:30h e 20:15h.
.
Os progamas, muito legais, estão em formato de podcast, podendo ser ouvidos de qualquer lugar do planeta. Na foto estão a profa. Débora D´Ávila (do Inst. de Ciências Biológicas da UFMG) à esquerda, o estudante de biologia Horácio Rodrigues no centro e a profa. Adlane Vilas Boas à direita. A profa. Adlane, uma ativa "radialista da ciência", é a coordenadora do projeto. RECOMENDO ouvir os programas!
.
Aqui vai o site do programa: http://www.ufmg.br/naondadavida/

Razões para se citar estudos em artigos científicos

Olá internautas, vale a pena gastar uns 10 minutos lendo o artigo de Sônia D.S. Brambilla e colaboradoras, da UFGRS (publicado em 2006), na qual se discute os critérios pelos quais estudos são citados em artigos científicos (conhecidos como papers na linguagem da academia).

O artigo das pesquisadoras gauchas começa assim:
"Para realizar seus trabalhos, os cientistas necessitam estar cientes da produção de seus pares. O famoso matemático e físico inglês Sir Isaac Newton não desconheceu as contribuições dos que o antecederam, especialmente as de Kepler e Galileu. Vale repetir sua frase: “Se vi mais longe do que os outros homens, foi porque me coloquei sobre os ombros de gigantes”. Esta pode ser uma das primeiras referências para o uso dos trabalhos anteriores, prática muito presente na ciência atual. Os pesquisadores, ao publicar os resultados de suas pesquisas, fazem citações a outros autores, que (...) são referências a trabalhos publicados previamente, relevantes para o argumento apresentado pelo autor. Um dos maiores questionamentos a respeito das citações está na identificação dos motivos que levaram determinado autor a citar outros pesquisadores. (...) Alguns o fazem de modo escasso, outros de modo excessivo."

leia o texto na íntegra:

Para onde vai a ciência da América Latina?

Olá internautas, vai um estudo que, para os interessados nos rumos da ciência latino americana, com ênfase no Brasil, México, Chile e Argentina, vale a pena ler este trabalho publicado recentemente em uma revista inglesa (clique na imagem para ampliar e ler o abstract do estudo). Sou um dos autores do estudo. Para os interessados, basta escrever que mando cópia PDF do trabalho: m_hermes_lima@yahoo.com.br

Este estudo foi comentado por Marcelo Leite (Folha de SP (1)), Roberto G. de Souza Berlinck (Jornal da Ciência (2)), Nora Bar (La Nacion, Argentina (3)) e pela Assessoria de Comunicação da UnB (4). Além disso, um dos co-autores do trabalho, Sérgio T. Ferreira (UFRJ), escreveu um texto para o Jornal da Ciência sobre nosso estudo (5). Fui também entrevistado pela TV Nacional sobre a questão da qualidade da ciência (6). Finalmente, a revista Veja publicou recemente uma nota sobre o tema (7).

1: Produtivismo Infantil
http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=45871

2: Contra a mediocrização da pós-graduação
http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=46191
(este texto é MUITO interessante, com um sarcasmo gritante)

3: Cantidad y calidad
http://www.lanacion.com.ar/Archivo/nota.asp?nota_id=901162

4: O revés da ciência brasileira
http://www.unb.br/acs/bcopauta/educacao24.htm

5: Ciência no Brasil: Crescer, mas com qualidade
http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=49345

6: Entrevista, TV Nacional (canal 2, Brasília)
http://www.unb.br/acs/unbcliping-tv2/2007/ago_2007/06/490992.wmv

7: Nota da revista Veja
http://cienciabrasil.blogspot.com/2007/07/paper-de-mhl-citado-na-veja.html

Minhas ex-alunas de nutrição

Olá, so queria aproveitar um minutinho de folga para postar esta foto de minhas ex-alunas, de Nutrição, da matéria de bioquímica (BioBio) de 2007-1. Go ahead girls. Excel ! Be the best you can. Brazil needs you!

Universidades paulistas disponibilizam milhares de e-books

Agencia Fapesp. Consórcio Cruesp Bibliotecas, formado pelos sistemas de bibliotecas da USP, Unesp e Unicamp, lança serviço com 188 mil livros eletrônicos que podem ser consultados livremente nos terminais nos campi das instituições.
.
As obras estão divididas em sete coleções e englobam todas as áreas do conhecimento, desde física, química e biologia até medicina, educação, música ou administração, passando pelas engenharias e ciências ambientais e sociais. O acervo inclui ainda obras raras.

.

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Comentários de uma bióloga sobre os artigos de Nora Bär

Oi amigos internautas,
Vejam o 4o texto enviado para o Blog do Ciência Brasil, a respeito da avaliação da ciência e dos cientistas. O texto é da Profa. Vera Val, do INPA.
-------------------------------
Caro Marcelo e demais colegas

Como conversamos semana passada em Salvador [ver foto], a evolução do processo de avaliação ocorre em taxa menor que gostaríamos.

Durante muito tempo (tempo até demais) a medida era número de contribuições, não importando a revista nem a área de publicação. Assim, não importava se publicássemos em revistas de última linha ou em revistas como PNAS, o trabalho era simplesmente um a mais. Ainda, não importava de era um trabalho de ecologia que demora mais de ano em coletas e uns dois anos para apoiar uma boa teoria ou se era um trabalho de biologia molecular, onde um suspiro redunda em publicação. Não importava se era uma nova metodologia que seria util a todos ou se o autor escreveu uma baita bobagem e era citado até mais, que isso valeria no mesmo.

Hoje, depois de muito tempo, e muito pensar, a comunidade tem utilizado o índice de impacto (IF - ver rota de rodapé) da revista, que representa aproximadamente o quanto ela é lida e o quanto ela é conceituada no mundo científico. Discordo que os trabalhos mais citados são os de metodologia - se assim fosse, grandes teorias e boas escolas em nossa área não seriam nunca disseminadas como vêem sendo. Hoje, um bom trabalho em ecologia pode ser comparado a um bom trabalho em clínica médica ou em engenharia, porque ele é avaliado no âmbito de sua área, onde a competição não fica desigual, as pessoas demoram o mesmo tanto para gerar bons resultados na mesma área e a comparação fica mais igualitaria.

Que outra metodologia de avalição seria boa? Qual o próximo passo para aperfeiçoar a avaliação por pares? Que itens deveriamos considerar, além do fator de impacto de uma revista? Você tem a fórmula mágica? eu ainda não tenho, e por mais que queira que minhas ações sejam reconhecidas não apenas por meus papers, ainda não encontrei a forma mais justa para sugerir aos avaliiadores ou aplicar quando avalio meus pares. Se você tem uma contribuição a dar, dê. É importante que saibamos dividir o que pensamos, mas, além de criticar quem está tentando fazer, temos que ajudar, pois estamos todos no mesmo barco, ou não?

Desculpe pela longa mensagem, mas é que não gosto de injustiças e quando nossas críticas vão além do justo é preciso parar e refletir se não estamos atirando pedras em quem não merece ou em quem está também do nosso lado.

Vera Maria Fonseca de Almeida e Val, Dra.
Laboratório de Ecofisiologia e Evolução Molecular (LEEM)
Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA)
Av. André Araújo, 2936
69.083-000, Manaus, AM
--------------------------------------------
O que é IF ? O IF de uma revista é a razão entre o numero de citaçoes que uma revista recebe num dado ano pelo numero de artigos publicados. Se uma revista A publicou 90 artigos em 2006, e seus artigos receberam 180 citaçoes, dai o IF desta revista A é 2. O IF das revista varia, em média, de 0.1 (ou menos) a 20 (ou mais).
.
Nota do MHL: eu sou desfavorável ao uso de IFs nas avaliações de pesquisadores. Isto porque o IF é um medidor de visibilidade de uma revista, e não de um autor individual. Se a revista A, mencionada acima, teve apenas 30 de seus 180 artigos citados (no caso, cada artigo teria 6 citaçoes em média), numa distribuição não-normal, isso significa que se voce é um autor não-citado, está recebendo crédito pelos autores que foram citados. Por outro lado, se voce é um autor com artigo citado 6 vezes, vai receber "nota 2" injustamente, pois não tem culpa de outros artigos serem poco citados. Um exemplo clássico é o meu ex-orientador (ele tem mais de 9 mil citaçoes). Um de seus artigos mais citados (quase 100 vezes) foi publicado em uma revista do Brasil que tem um IF ao redor de 1. Assim, um comitê que fosse avaliar aquele artigo, daria "nota 1" ao mesmo - o que seria muito injusto.
.
Nota-2 do MHL: A profa Vera Val é uma das 3 finalistas no Prêmio Cláudia 2007. Celebrar as mulheres que investem no sonho de reinventar o Brasil. Este é um dos objetivos do Prêmio Cláudia 2007. Leia mais (e vote na profa Vera!): http://portalamazonia.globo.com/noticias.php?idN=56694&idLingua=1

10 mil acessos no blog!

Este é o 5o mês de vida deste Blog, e finalmente passamos 10 mil acessos. Obrigado a todos que valorizam este trabalho pró-ciência, pró-cientistas e anti-idiotismo, este último reinante em Brasília (clique na imagem para ampliar)
.
AVISO: Estamos produzindo o oitavo talk-show do Ciência Brasil, com o Prof. Dr. Vanner Sousa, da UnB, com o tema: Estresse e Memória

Comentários de um astrônomo sobre os artigos de Nora Bär

Oi amigos internautas,
Vejam o 3o texto enviado para o Blog do Ciência Brasil, a respeito da avaliação da ciência e dos cientistas por índices bibliométricos. O texto é do Prof Carlos Alberto de Oliveira Torres.

.
Foto: Prof. Beto na sala de controle do telescopio de 1.6m do Observatório do Pico dos Dias
-------------------------------------
Marcelo,

Tenho entrado no seu blog, que gosto, mas sem tempo ou vontade de comentar nada. As vezes porque seria chover no molhado.

Li o primeiro comentário da Nora Bär (Ref 1) e agora o outro (Ref 2). É normal que as pessoas se revoltem contra citações e outros métodos. Toda avaliação é muito desagradável. O problema é que não estamos na primeira metade do século XX, ou antes, quando mesmo um cientista de província era conhecido por todos. O seu status era indiscutível, muitas vezes porque fez algum dia algo interessante.
.
Hoje mesmo matando um leão por dia não somos necessariamente reconhecidos nem pelos mais próximos. Seu exemplo de comentários na UnB mostra bem isso. Seus colegas (de outras áreas?) não sabem o que você faz ou o valor disso. Além disso, existem centenas de "Marcelos" no Brasil, o que impossibilita alguém que vai julgar uma bolsa, um auxílio etc., saber qual o seu valor. Ou o valor dos seus trabalhos, pois cada área da ciência está cheia de subáreas, cada vez mais especializadas, onde apenas os que trabalham nelas são capazes de uma avaliação real. Na periferia do mundo ainda é pior, pois muitas vezes só há um especialista naquele assunto, o proponente. Processos de consulta podem ficar caros e demorados.

Assim, como fazer? As citações têm defeitos óbvios - mas qual a outra proposta? Ela afinal, em primeira aproximação, é uma avaliação dos pares. Acho o índice h uma forma de melhorar a coisa. Mas se procurarmos a perfeição, jamais acharemos. O ótimo é inimigo do bom!

A propósito - no ano passado estive observando no Observatório Europeu, em La Silla, no Chile, e comentei sobre o índice H (Ref. 3). Alguns astrônomos gostaram muito e enxergaram no índice a possibilidade de aplicar numa avaliação diferente que estavam tentando - comparar performances científicas de equipamentos. O resultado saiu na revista The Messenger de junho (vol. 128, p. 62). Se tiver interesse suponho que o artigo é aberto no site do ESO.

Abraços,
Carlos Alberto Quadros Coimbra (Astrônomo) - beto@lna.br

Ref 1: cienciabrasil.blogspot.com/2007/08/quanto-vale-um-trabalho-cientfico.html
Ref 2: cienciabrasil.blogspot.com/2007/08/morrer-de-avaliao-artigo-de-nora-br.html
Ref 3: O indice H é melhor entendido dando um exemplo. Meu índice H é 19. Isso significa que tenho 19 artigos citados pelo menos 19 vezes. Leia mais em: http://en.wikipedia.org/wiki/Hirsch_number

Estudando hibernação em esquilos do Alaska

Meu grupo de pesquisa, em colaboração com a Universidade do Alaska, Fairbanks, enviou ontem - para publicação - um trabalho avaliando o estresse oxidativo (formação de radicais livres, resultando em lesão celular) em esquilos do ártico (foto). Descobrimos que quando eles despertam da hibernação e reaquecem seu corpo, de 2 a 37oC, apresentam danos causados por radicais livres no tecido adiposo marron (BAT), mas não no fígado. O BAT é o tecido responsável pelo reaquecimento do animal no despertar e, com isso, produz radicais livres em excesso. Verificamos que estes radicais lesionam proteínas e membranas do BAT. Apesar da lesão ao nível molecular, o animal segue sua vida "na boa" ! É o que chamamos de "estresse oxidativo fisiológico", ou natural.

Para que serve este estudo? Estes esquilos podem ser úteis para ajudar a solucionar problemas em humanos que envolvem radicais livres (dezenas de doenças...)

Physiological Oxidative Stress after Arousal from Hibernation in Arctic Ground Squirrel

Adrienne L. Orr (1), Lonita A. Lohse (1), Kelly L. Drew (1*) and Marcelo Hermes-Lima (2)

1:University of Alaska Fairbanks, AK 99775, USA;
2: Universidade de Brasília, 70910-900, DF, Brazil

espero que o estudo seja aceito!

Governador do DF visita UnB e promete verbas

O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, liberou, na manhã de quarta-feira, 22 de agosto, R$ 24,7 milhões para a ciência e tecnologia no DF.

A idéia de Arruda é aumentar gradativamente os recursos para a FAP-DF de forma a alcançar, ainda durante seu governo, os 2% da receita líquida do DF determinados pela Lei Orgânica. Ele, no entanto, acredita ser difícil chegar ao total desse patamar ainda em 2008.

Texto: Trechos de matéria de André Castro, site da ACS-UnB
.
Nota do MHL: Realmente espero que saiamos do patamar ridículo de 0.1% do PIB do DF empregado em pesquisa para um valor bem maior. Espero ainda que a destinação dos recursos se dê por mérito acadêmico, e não pelo sistema "de amigos". Estou confiante. Lembro aos de fora do DF, que nosso ex-governador (Roriz), como Lulla, não tinha qualquer apreço por pesquisa - o que não seria surpresa em se tratanto de pessoa com tão baixa escolaridade.
-----------------------------------------------------------
Vejam entrevista, de 24 de agosto, do governador do DF sobre a questão do investimento a ciência e tecnologia (C-e-T) em Brasília.
.
.
"Se não há nenhuma pressão na área de C-e-T, fica difícil atender. A comunidade acadêmica precisa se mobilizar" (Arruda - Governador do DF)

Morrer de avaliação, artigo de Nora Bär

“Hoje temos que fazer ciência com regras econométricas, administrativas, sindicais...”

Nora Bär (ciencia@lanacion.com.ar) é editora de Ciência e Saúde do jornal “La Nacion”, de Buenos Aires, onde publicou este texto, em espanhol, claro:

El comentario publicado la semana última en esta columna (Ref. 1) sobre los peligros que encierra el [mal] uso de instrumentos estadísticos para evaluar las contribuciones científicas argumentaba que medidas bibliográficas como el "factor de impacto" no sólo pueden utilizarse equivocadamente, sino que están sujetas a sesgos que pueden desvirtuarlas.

El revuelo que despertó el tema muestra que éste y otros indicadores estadísticos están en el corazón de una acalorada controversia.

Entre las consideraciones de distinto signo que llegaron a esta mesa, una de las más amplias e interesantes es la del destacado científico argentino residente en México, Marcelino Cereijido (foto).

El investigador en Fisiología Biofísica y autor de varias obras sobre el desarrollo de la ciencia en este continente opina que en esto "se ha saltado de la sartén al fuego".

La sartén era el autoritarismo (...) que permitía elegir a dedo; el fuego, los concursos y las evaluaciones que deben decidir el mérito de un investigador, explica. Según Cereijido, uno de los puntos oscuros del método de evaluación por el número de citas es que los trabajos más citados suelen ser los metodológicos.

"Un señor modifica un detalle del método anterior – escribe –, la innovación tiene su ventajita, todo aquel que la use debe citarla y luego, si uno tuviera en cuenta el impacto citacional pensaría que el modificador del método es un supersabio ante quien palidecen Newton, Darwin y Pascal puestos juntos."

Un poco en broma, pero mucho más en serio, el científico embiste contra el frecuente fervor por las citas bibliográficas ("Exigen clasificar lo inclasificable", afirma):

"Me hacen acordar a cuando mi abuela Maggiorina me martirizaba con «¿A quién querés más: a tu mamá o a tu papá? ¿Y a tu mamá o a mí?»".

Uno de sus resultados es que, en aras de mantener la regularidad en el ritmo de publicaciones, los investigadores jóvenes no se pueden dar el lujo de abordar un problema profundo, porque corren el riesgo de que luego esa línea de estudios no produzca suficientes publicaciones y no les otorguen subsidios ni becas.

Afirma Cereijido:"Hoy tenemos que hacer ciencia con reglas econométricas, administrativas, sindicales, pues estamos en una morsa, una de cuyas mandíbulas es la normatividad administrativa, y la otra las normas sindicales, que si nos hacemos los locos nos toman las instalaciones. (...) Si bien no se puede regresar a un autoritarismo perimido, como no encontremos soluciones rápidamente, nos vamos a morir de evaluación."

Seguramente, estas apreciaciones no harán más que echar leña al fuego de una discusión que, a estas alturas, parece útil e insoslayable... (La Nacion, Buenos Aires, 22/08/2007)
.

Um nariz vermelho de alegria e esperança

Foto dedicada aos milhares de bons médicos, nutricionistas e farmacêuticos (além de outros profissionais de saúde) do Brasil que fazem o que podem para manter a nossa boa saúde, em uma nação com tantos problemas e com tão pouca esperança para com o futuro.
.
ps: me ORGULHO de ser prof. dos alunos de Medicina e Nutrição da UnB - dou aula para eles, há 13 anos, no 1o ano de curso.

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Como milhões de brasileiros se sentem hoje?

Prof. Marcelo usando arma mortal contra a idiotice reinante no Brasil: o nariz vermelho ! (isso vale também como eu e centenas de profs da UnB se sentem frente a atual administração central - a UnB está, a cada dia que passa, saindo do rumo como casa do SABER da capital do Brasil; aquilo pelo qual está se transformando...bem... meu advogado não deixa eu dizer via blog ... mas leiam o post de 5 de agosto)
.
O blogueiro que vos fala foi recentemente convidado para ser do Editorial Board do respeitado periódico canadense Comp. Biochem. Physiol. e aproveita para compartilhar esta alegria com vocês. Todos já estamos cansados de saber, reconhecimento internacional não tem valor no Brasil !

Missão Voyager - 30 anos depois

Três décadas sem parar e ainda longe da aposentadoria

Agência FAPESP – Há exatos 30 anos a pesquisa espacial inaugurou um de seus principais capítulos – e um que não dá sinais de que terminará tão cedo. O mais notável é que a história é escrita por dois veículos que continuam operando sem defeitos e dispensando revisões periódicas, mesmo viajando por mais de 1,6 milhão de quilômetros a cada dia.

As sondas começaram sua jornada em 20 de agosto de 1977, com o lançamento da Voyager 2, que foi seguida pela Voyager, dias depois. Hoje, a Voyager 2 está a cerca de 15,5 bilhões de quilômetros do Sol e a irmã a 12,5 bilhões. Clique na imagem para ampliar.


Comentário do MHL: Puxa, nos anos 80 eu adorava saber tudo sobre as Voyagers. Ainda me lembro como se fosse hoje, ver as 1as fotos de alta qualidade de Urano - de saber que Urano tem anéis. Vale a pena ler o livro COSMOS, de Carl Sagan, ou ver os DVDs. Carl comenta de forma quase poética as 1as descobertas das naves gêmeas.

Vacina contra AIDS, será possivel?

Agência FAPESP – Novas vacinas contra o HIV/Aids foi o tema mais discutido nesta terça-feira (21/8), no 13º Congresso Internacional de Imunologia, que está sendo realizado no Rio.

Pertencentes a duas gerações de cientistas que desenvolvem pesquisas sobre a resposta imunológica humana a infecções, o suíço Rolf Zinkernagel, ganhador do Prêmio Nobel de Medicina de 1996, e Edecio Cunha Neto, professor da USP, falaram sobre as dificuldades que o vírus da Aids impõe à comunidade científica mundial.

Zinkernagel considera "muito pouco provável" que se desenvolva uma vacina contra o HIV-1. Por outro lado, o Prof. Cunha Neto é mais otimista.

Leia mais: www.agencia.fapesp.br/boletim_dentro.php?id=7637

Saiba mais sobre Rolf Zinkernagel
http://nobelprize.org/nobel_prizes/medicine/laureates/1996/
.
-----------------------------------------------------------------
Quem ainda não viu nosso talk-show sobre AIDS e HIV, com o Prof. Enrique Arganharas, da UnB, aqui vai o link: http://www.painelbrasil.tv/home/ciencia/ciencia.php?id=478 (a entrevista teve mais de 100 mil acessos)

terça-feira, 21 de agosto de 2007

"Meio ambiente é o caralho"

Ficção (humor)
Se não fosse eu, ia até ter onça no município. Ia ter trombadinha, que eu boto no ônibus e mando pra longe. Se não fosse eu, a ecologia já tinha tomado conta de tudo.

por André Sant´Anna
Publicado na revista Piauí (este mês).

Esses pessoal da ecologia, do meio ambiente, salve as baleias, são uns chatos. Eles quer impedir o pogresso do município. Querem acabar com o turismo, com o comércio. Querem que a cidade fique sempre pequena. Mas eu vou passar por cima deles tudo. Eu posso até não ser uma pessoa instruída, mas nasci aqui, conheço todas as família. Por isso que eu já fui prefeito cinco vezes e ainda vou ser mais. Ano que vem, entra meu filho que eu já tô no segundo mandato. Mas depois eu volto.
.
.
Muito engraçado, vale a pena ler!
.
Nota para puristas de plantão: o texto é de FICÇÃO (coisa semelhante ao governo Lula e ao reinado do atual reitor da UnB) e HUMOR. Nem eu e nem o autor somos contra os valores da ecologia. Compreendido?

Racismo canino!

"Iremos investigar com profundidade, e se necessário punir, doa a quem doer, pois em meu governo, não há espaço para impunidade [canina e racista] " (quem acertar o autor da citação, ganha um doce!)

Depoimento de um doutorando brasileiro na Inglaterra

Amigos internatutas,
vejam abaixo o 2o artigo recebido pelo blog do Ciência Brasil. É um depoimento que vale MUITO a pena ser lido em sua íntegra.

Abaixo vão uns trechos que selecionei. O autor é físico, com graduação e mestrado pela UnB.
-----------------------------------------------------------------------
"Sobre bolsas de doutorado no exterior, o bolsa família e outros temas da UnB...

Cambridge, Inglaterra, 20 de agosto de 2007.
Prezados amigos e prezado Prof. Marcelo Hermes,

Gostei muito de suas mensagens e, como vejo que há muito a ser debatido com relação ao futuro da educação no nosso país, penso que posso tentar dar alguma contribuição a esta discussão com este breve email.

É *óbvio* que o presidente Lula não sabia do que estava falando quando comentou sobre os bolsistas no exterior e os comparou com o bolsa família (Ref 1). São duas coisas *totalmente incomparáveis e independentes* (...).

Eu, bolsista brasileiro no exterior, não me considero, nem a meus colegas aqui, um ônus ao estado. Considero-nos um investimento. Fontes de conhecimento, que agregarão valor intelectual para o nosso país, para nossa sociedade. Não acho justo, nem correto, sermos considerado como uma anomalia, algo que deve ser extirpado ou simplesmente deixado de lado por haver outras prioridades num país cheio de problemas como o nosso (...). A educação é importante e deve ser tratada como um todo, mas certamente de maneira ponderada, proporcionalmente à sua importância, à sua abrangência e ao seu impacto na sociedade. (...)

Concordo em vários pontos que o Prof. da FT-UnB (Ref 2) levantou com relação à utilização da universidade para fins não acadêmicos. A universidade não pode ser usada como um trampolim pessoal, a partir do qual pessoas de pouca *índole* acadêmica (algumas com *mérito* acadêmico, outras não) projetam-se para esferas fora do ambiente acadêmico, com fins nada acadêmicos, mas que precisam da Universidade como apoio para suas atividades. (...) Cabe aos presentes acadêmicos de verdade lutar (...) para que coisas deste tipo não aconteçam. (...)

Finalmente, gostaria de dizer que acredito em uma universidade ativa, produtiva, fonte de idéias, de debate. (...) Acredito numa universidade em que "aqueles que realmente desenvolvem um trabalho sério, divulgando o nome de nossa instituição, pelo ensino e orientação, pelos seus respectivos livros didáticos, artigos científicos de impacto, patentes e pesquisas relevantes (...). Este é o significado de uma boa universidade para mim. E repudio toda e qualquer idéia que tente disvirtuar estes valores de nossas universidades. (...)

Mas, o que mais me revolta é ser utilizado num jogo de empurra-empurra político sujo e vão, num toma lá-dá cá fútil, descabido, vindo da boca do dirigente-mor do meu país, que ajudei a eleger. Perceber que todo meus esforços, dedicação, projetos, idéias, não valem nada. (...).

Que decepção.
Um cordial abraço a todos,


O Brasil está sendo governado por um IDIOTA ou por um CORRUPTO?

Enquete do Orkut
O senador Artur Virgílo (DEM/AM) disse que ou o presidente da República é um "corrupto", ou é "um completo idiota":

"Vamos acabar também com essa história de que o senhor Lula não sabe de nada. Até o meu filho de 10 anos sabe. Ou ele é um completo idiota, ou o senhor Lula sabe de toda a corrupção que se passou embaixo de seu nariz. As palavras idiota e corrupto foram repetidas com veemência várias vezes: E eu volto a dizer que nós temos um presidente que é um completo idiota ou é um corrupto também. Porque se permite esse tipo de atitude para se defender é porque não tem como se defender, e se é um idiota o Brasil tem que ter muita atenção porque no mínimo estamos a ser governados por um idiota!"

Dê a sua opinião votando:
a) Idiota
b) Corrupto
c) Ambos
d) Outro (justifique)

www.orkut.com/CommPollResults.aspx?cmm=33507&pct=1187554962&pid=297001443

Saibam mais sobre o livro O IDIOTA, de Dostoevsky, na Wikipedia
http://en.wikipedia.org/wiki/The_Idiot_(novel)

Ótimas dicas de nutrição em podcast

Para quem é leigo no campo da nutrição humana, recomendo para voces ouvir os podcasts da Profa Andreia L. Torres, nutricionista e mestre pela UnB (ela trabalhou no meu lab um semestre). São podcasts curtinhos e bem produzidos. Ela já colocou no ar 13 episódios.


E para conhecer mais o trabalho da Andreia, que é hoje a pessoa que faz a MELHOR divulgação sobre nutrição humana científica pela internet no Brasil, aqui vai o link do seu blog: http://andreiatorres.blogspot.com/

Vale MUITO a pena conferir. Ela é meio alucinada, e toda semana faz várias resenhas de artigos cientificos de nutrição publicados em revistas acadêmicas sérias. O blog da Andreia, só este ano, já teve mais de 12 mil visitantes.
.
Para quem está em Brasília, e quiser mudar seus hábitos alimentares, os contactos da Andreia são: (61) 3201-1029 - andreiat@gmail.com
.
---------------------------------------------------------------------
E sobre a lista de absurdos da UnB, ver post de 5 de agosto
cienciabrasil.blogspot.com/2007/08/lista-de-absursos-da-universida-de.html

Onde moram nossos internautas?

Para saber a resposta da pergunta acima, basta clicar no mapa. Este blog teve, nas últimas 48 horas, mais de 1300 visitantes (do Brasil, América do Norte, Europa e Ásia). Ajude a divulgar nosso trabalho para mais internáutas :o)

É possível criticar a CAPES ?

Recebi ontem este texto, por email, do ex-reitor da UnB, Prof Lauro. É sobre a CAPES, orgão do MEC que cuida da pós-graduação no Brasil. Li e não concordo com 90% de seu conteúdo (o prof Lauro não concorda também). Em nome da dialética resolvi postar o artigo.

O que concordo com o artigo, é a CAPES tem que parar com o ufanismo infantil de que estamos na 15a posição mundial no ranking de número de artigos dos paises (ultrapassamos recentemente a Suiça e Suécia - não parece Formula 1 ?), e cuidar com mais carinho da qualidade da formação da próxima geração de cientistas. Hoje, com a grande velocidade na qual doutores são formados (crescimento de mais de 12% ao ano - mais que o crescimento anual do PIB da China), certamente o quesito qualidade tem deixado a desejar. Educação é atividade artesanal, e quando se faz em escala de produção industrial, temos que - no mímino - ficar atentos. Se a próxima geração de cientistas não tiver boa formação, em 20 anos a produção científica brasileira irá despencar para a 100a posição mundial !

Outra coisa que vale lembrar: um artigo suiço tem em média 14 citaçoes; um artigo brasileiro tem pouco menos que 5 (Hermes-Lima et al., IUBMB Life 59, 199-210, 2007). O que vale mais, quantidade ou qualidade?

(fui membro suplente do comitê das Ciências Biológicas II da CAPES, de forma que conheço bem como são feitas as avaliações --> sempre com MUITO cuidado e zelo)

Vejam o texto, e foi publicado no Jornal do Brasil
Opinião: Estado autoritário e repressão científica
João Ricardo Moderno, presidente da Academia Brasileira de Filosofia
.
.
Para se ter uma visão heterodoxa do crescimento da ciência no Brasil, vale a pena ler o artigo de Marcelo Leite, escritor e jornalista da Folha. "Produtivismo Infantil"

segunda-feira, 20 de agosto de 2007

O que se passa na mente do brasileiro?

Vejam uma matéria que saiu hoje no Jornal Nacional, baseada em uma pesquisa da Universidade Federal Fluminense (UFF). Ela desfaz a associação negativa que se faz (e que os "companheiros" da PTzada criaram nos últimos 20 anos de contínua lavagem cerebral pseudo-esquerdista) entre elites (*) e privilégios. É bem interessante.
*= Classe média, que viaja de GOL uma vez a cada dois anos, pagando em 10X, já é elite para os petralhas. Lógico que cientista, mesmo desempregado, é elite para esse pessoal.

Ai que foto massa !

Achei esta foto e a frase abaixo no Orkut. Em um blog de ciência, não podemos nos esquecer das maravilhas do mundo da biologia.
Aposto que as internautas vão se apaixonar pelo hipo bebê !

"Crianças serão o futuro do mundo, proteja-as. Especialmente os brasileirinhos e brasileirinhas da gestação até a adolescência"

Congresso Internacional de Fisiologia Comparada

Fotos do congresso de Bioquímica e Fisiologia Comparada - ICCPB
(Salvador, Bahia - 12 a 16 de agosto de 2007)


Roberto Andrade, MHL, Bill Willmore (Canadá) e Cecília Carreiro (UnB)


Alicia Kowaltowski (USP), Eva Phillip (Germany), MHL, Vera Val (INPA) e Bill Willmore (Canadá) - simposium Free Radicals

<-- MHL e Carolina Freire (UFPR)

Carlos Navas (USP), MHL e Francisco Bozinovic (Chile)

Membros da Sociedade Sul Americana de Fisiologia e Bioquímica Comparada (Silvia, MHL, Vera Val, Adalberto Val e Bicudo). -->

um vagabundo honesto!

Tradução: "Preciso de dinheiro para cerveja e prostituta (pelo menos não estou mentindo para você)"
* clique na imagem para ampliar *

Um politico brasileiro poderia fazer uma campanha parecida:
"Vote em mim, que eu prometo ROUBAR até o encher o talo !"

Estamos aceitando artigos! (e... "Problemas na UnB")

Amigos internautas,
recebi este email de um colega professor-pesquisador (da FT-UnB), e estou transcrevendo o conteudo.

O blog do Ciência Brasil é agora um lugar para publicar suas idéias (na forma de artigos ou comentários). É um espaço para aqueles que acreditam na importância do saber e que estão de saco-cheio com a idiotice reinante em Brasília (que ofende os cientistas, estudantes e o povo em geral) .

Nosso blog tem em média 800 acessos por semana. É modesto, mas é uma voz.
"Antes eram os ditadores, o tiranos, agora são os idiotas,
Quais deles são mais mortais?"

--------------------------------------------------------------------
Caro Marcelo Hermes:

Antes de tudo gostaria de lhe agradecer pelas mensagens muito mais instrutivas e informativas do que chatas! Além disso, devo lhe dizer que admiro a sua coragem.

Que boa notícia que você nos deu [de que o reitor da UnB só tem dois papers, melhor que nada!]. Nosso Reitor já tem CV-Lattes. Então as coisas estão evoluindo...

Compartilho com sua indignação em várias colocações anteriores. Os interesses, hoje, são outros! Quem ainda tem, pelo menos, resquícios de uma visão ortodoxa de universidade precisa nesse momento de paciência e perserverança. Como um velho amigo professor tem nos falado - A universidade está deixando de ser "poesia". Aqueles que realmente desenvolvem um trabalho sério (como o seu!), divulgando o nome de nossa instituição, pelo ensino e orientação, pelos seus respectivos livros didáticos, artigos científicos de impacto, patentes e pesquisas relevantes no contexto nacional e internacional são os que realmente constroem e dão visibilidade a nossa instituição. Isso deveria ser de alguma forma um agente motivador para quem pensa na instituição.

Acreditamos sim que existe uma onda já de grande amplitude no atual contexto dos Campus Avançados por toda parte, Cotas, Ensino Virtual, Cibernético e etc., e particularmente, de pessoas com pouca projeção acadêmica que optaram pelo "empreendimento científico e tecnológico" as custas da imagem da UnB. Nesses últimos 10 anos essa figura ganhou um espaço considerável dentro do campus até porque na universidade praticamos a Democracia (oportunidade para todos) e vivemos por muito tempo com recursos minguados. Na verdade, são pequenos grupos encabeçados por colegas, geralmente, frustados com sua própria história acadêmica, mas ainda assim pregam uma imagem hipócrita de preocupação com o futuro da universidade. Isso claro, para mimetizar seus interesses empresariais/financeiros que se desviam de forma gritante das premissas e finalidades básicas da universidade pública.
O mais preocupante, no entanto, são aqueles de potencial acadêmico reconhecido que resolveram se aproveitar dessa situação em benefício próprio. São pessoas maquiavélicas... Conheci mais recentemente uns dois exemplos desses indivíduos que me deixaram muito impressionado. Geralmente são indivíduos muito simpáticos, bem realacionados, usam de um discurso coloquial refinado, mas ao mesmo tempo rondam os quatro cantos da UnB denegrindo a imagem de seus possíveis desafetos.

Em suma, por indução dessa onda de privatização e de dinheiro correndo mais fácil nos campus de nossas universidades públicas, na UnB moderna ou Nova começam aparecer potencias que a tempos estavam hibernados. Isso é o que precisamos entender. A UnB deixou de ser inocente na questão do quesito dinheiro..
A maior virtude será saber como sobreviver e manter nossos ideiais de professor-pesquisador nessa nova configuração.

Por favor, se não se importar mantenha meu nome na sua lista.

um forte abraço.
(o nome do autor, prof. da FT-UnB, foi deletado)

Quanto vale um trabalho científico?

"O único critério verdadeiro para avaliar os êxitos de um indivíduo é a qualidade de seu trabalho e isso não admite um simples cálculo numérico".

Noa Bär é editora de Ciência e Saúde do jornal "La Nacion" de Buenos Aires, onde publicou este texto, em espanhol, claro:

¿Cuánto vale un trabajo científico?

-------------------------------------------
Noa, em 18 de abril, fez resenha de um estudo meu, sobre a ciência latina.
.

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Lula debocha de nossos bolsistas de doutorado !

Olá gente,
Recebi ontem este e-mail de minha namorada.
É realmente triste...
Quem será mais idiota? Lula ou Bush?
--------------------------------------
Hoje, em um discurso, nosso excelentíssimo presidente conseguiu se superar. Veja a barbaridade que ele falou:

"Veja que absurdo: Tem gente que critica o Bolsa-Família como um programa assistencialista, porque a gente está dando o direito de os mais pobres comerem. Agora, essas mesmas pessoas que criticam uma Bolsa-Família, não criticam uma bolsa de US$ 2 mil que a gente paga para um doutor se formar no exterior ".

É pra sentar e chorar, não é?? Veja a íntegra na matéria do Estadão: http://www.estadao.com.br/nacional/not_nac35873,0.htm

Estou revoltada!
Kênia Ávila
--------------------------------------------------------------
Para quem tiver estômago para ouvir o discurso de Lula, vejam o podcast do Estadão, clicando aqui.
.
---------------------------------------------------------------------
E sobre a Lista de absurdos da UnB, ver post de 5 de agosto

sábado, 11 de agosto de 2007

Brasil fica para trás na corrida por inovações

Enquanto na ultima década verificamos um aumento de 200% no número de artigos científicos produzidos no Brasil, a nossa produção de patentes vai de mal a pior.

Isso é discutido no artigo de Jamil Chade, publicado no Estadão em 10 de agosto de 2007.

"Número de patentes requeridas caiu 13,8% entre 2004 e 2005, enquanto pedidos da China cresceram 42% e média mundial ficou em 6,6%."
.
veja o artigo completo aqui:
.
Clique na imagem acima p. ampliar e ver uma visão alternativa sobre patentes (rrsss) !

sexta-feira, 10 de agosto de 2007

Princípios norteadores para pesquisa

Agencia Fapesp (01/08/2007)
Introduzir estudantes no campo da investigação científica e garantir que suas pesquisas tenham qualidade suficiente para o avanço do conhecimento na área em que atuam.

Essa é a proposta do livro Pesquisa e pesquisador: noções básicas da investigação à criação científica, de professores da Fac. de Odontologia de Araraquara da Unesp.

A publicação apresenta princípios norteadores para que os alunos possam executar investigações em bases de dados confiáveis na internet.

quinta-feira, 9 de agosto de 2007

TV Nacional entrevista Marcelo Hermes sobre a ciência no Brasil

Com respeito ao aumento de 200% na produção científica brasileira (anunciado recentemente pela CAPES), a TV Nacional, canal 2, entrevistou o Prof. Marcelo Hermes sobre a qualidade desta produção.
.
O video, que pode ver visto clicando o link abaixo, mostra ainda pesquisas de Luana Dalvi, orientada do Prof Hermes, que estuda o potencial antioxidante de frutas.

http://www.unb.br/acs/unbcliping-tv2/2007/ago_2007/06/490992.wmv

Para ler mais sobre esta produção científica, clicar no link:
http://txt1.estado.com.br/editorias/2007/07/10/ger-1.93.7.20070710.2.1.xml
.
---------------------------------------------------------------------
E sobre a lista de absurdos da UnB, ver post de 5 de agosto

quarta-feira, 8 de agosto de 2007

E a qualidade da ciência no Brasil ?

Jornal da Ciência - 07 de Agosto de 2007.
Ciência no Brasil: Crescer, mas com qualidade
artigo de Sérgio T. Ferreira, PhD (UFRJ)

Não devemos nos deixar levar pelas comemorações recentes da CAPES a ponto de nos esquecermos de avaliar o crescimento de 200% das publicações do Brasil na última década também do ponto de vista qualitativo. É importante avaliar o impacto e o reconhecimento internacionais de nossas cada vez mais numerosas publicações.
http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=49345

Vale MUITO a pena ler este artigo que cita um estudo feito por Sérgio Ferreira, duas pesquisadoras de Brasília e eu. Quem quiser copia PDF do estudo citado, basta pedir: m_hermes_lima@yahoo.com.br

terça-feira, 7 de agosto de 2007

Ciência Brasil no jornal Hoje em Dia

Caderno Brasília
Coluna de Leo Bicudo
5 de agosto de 2007

INFORMAÇÃO E CIÊNCIA - A 7ª edição do talk-show Ciência Brasil já está no ar. Nesse programa, o biólogo Marcelo Hermes conversa com o professor Enrique Roberto Argañaraz, especialista em Aids e HIV. Ele conta como a doença foi descoberta, como ocorre a infecção sob o ponto de vista celular e molecular e como as drogas que combatem a patologia agem no organismo. O programa dura 40 min e pode ser acessado pelo endereço www.painelbrasil.tv/home/ciencia .

domingo, 5 de agosto de 2007

Lista de absurdos da Univ. de Brasília

Colegas da UnB, voces podem ajudar com a lista !

Este tópico teve mais de 3000 acessos, quase todos de Brasília. (hoje é dia 26 de agosto)
1- Construção da Casa da África (vocês sabem o que é isso? Sabem quanto vai custar? Quem aprovou isso?). Para mim é racismo institucional, e pago com verba pública. Além de ser um desperdício de verbas MONUMENTAL.
Saiba mais: http://www.unb.br/acs/unbagencia/ag0507-71.htm

2- As mazelas do HUB, caindo aos pedaços...sem elevadores que funcionem de acordo...Cacon (centro de tratamento de cancer) que não fica pronto nunca, com equipamentos apodrecendo nas caixas...
Saiba mais sobre o Cacon: clique aqui (matéria do Correio Brasiliense)

3- Cotas: anticonstitucional , mas tem apoio do governo. (o Sr. reitor me alertou per email que não existem raças, logo as cotas não seriam um ato de racismo institucional, e sim de justiça social com os negros - yahh) Voces lembram que fomos capa da Veja (questão dos gêmeos) há pouco tempo por causa das cotas??
Vejam o que saiu na TV, vale a pena: clique aqui

4- Abertura da UnB p. centenas de alunos estrangeiros, que não precisam de vestibular e que tiram vagas dos brasileiros (que suam a camisa p. entrar). Isso ocorre há anos, e ninguem se pergunta a origem disso. Não sou contra termos alunos de fora do Brasil (já tive ótimos alunos do exterior), mas que haja algum tipo de seleção para eles, e de responsabilidade da UnB. Só para ter uma idéia do descalabro, ano passado tive uma aluna quasi-analfabeta vinda de Angola - e ela fazia Medicina... (Deus nos acuda!)

5 - Desleixo total em relação a energia elétrica - meu lab teve prejuizos de mais de 100 mil dólares em dezembro/2006 (a UnB não tem verbas p. resolver o problema elétrico mas tem para construir a Casa da África...são prioridades, certo??). Muitos outros laboratórios da UnB (na Biologia e Física em especial) tiveram IMENSOS prejuisos nos apagões elétricos no inicio de 2007. O quanto a reitoria nos ajudou? EM NADA. Vai comprar geradores? NÃO.
6- Segurança ZERO (exceto na reitoria, lógico)...vários carros roubados no prédio Minhocão semana passada (os roubos ocorrem sempre as 19 h - os ladroes dirigem um Gol branco - Eu acredito que depois dos roubos eles vão tomar cerveja no bar Por do Sol... os colegas podem ir até lá e até confraternizar com eles.... é demais isso!). SOLUÇÃO: cercar parte dos estacionamentos da UnB, como fazem dezenas de órgãos públicos; treinar decentemente os seguranças da UnB em um ítem que muitos deles não conhecem: segurança; maior interação com a polícia.

7- Projeto (des)educacional Universidade Nova - projeto divulgado no site da UnB que não tem referencias bibliograficas (vai começar em 2008 - teremos de triplicar nossa carga horaria e aumentar em 90% as vagas p. alunos, mas sem aumentar as vagas de docentes). O projeto é incrivelmente medíocre e vai dar diplomas a alunos depois de 3 anos de formação geral. Onde irão arrumar emprego? Quem sabe na Câmara Distrital... A UnB vai iniciar um processo de decadência total do ensino superior Federal (é uma vergonha!).

8- Moradia dos professores, funcionários e alunos da pós-graduação (Colina) em grande decadência física. Além disso não há SEGURANÇA. Moram perto da Colina inúmeros mendigos, bêbados, e vendedodes de drogas. Há ainda um acûmulo terrivel de lixo por estas pessoas. Além disso, a moradia dos alunos (no CO) está de mal a pior...
9- Perda salarial de verdade - Agora a UnB quer de volta R$ 9 mil de salário de quem é Prof. Adjunto (o sr Reitor comunicou isso numa reunião sobre o Universidade Nova, na maior calma, como se fosse dizer que iriamos pagar um doce p. a reitoria), e um pouco menos de quem é Prof. Assistente. Além disso, irão diminuir cerca de R$ 500 (líquido) de nossos "ótimos" salários. O sindicato dos professores da UnB (Adunb) já explicou que tudo é um grande equívoco do TCU, mas a reitoria não quer ouvir.

10 - Não há cuidado com a graduação e nível das aulas. Se o professor é bom, a turma de dá bem. Se o professor não sabe dar aula - ou pior, se nem aparece para dar aula - ai fica por isso mesmo. Fora as dezenas de profs que NÃO dão aula pois estão em cargos "importantes" na reitoria. Numa universidade séria, o reitor teria que ser o primeiro a dar exemplo e ir dar aulas tambem - e boas aulas. (não há uma filosofia de ensino na UnB; não se ajuda o professor em nada em relação a métodos pedagógicos - é cada um por sí).

11 - Falta quase total de interação acadêmica entre os diferentes setores da UnB. Só se estimula na UnB "atividades culturais", como se a UnB fosse um grande parque de diversão. Por exemplo: uma palestra de um Prêmio Nobel tem muito menos audiência que uma sobre astrologia. Não é por menos que a UnB não esta na lista das 500 melhores universidades do mundo. SOLUÇÃO: estimular a participação de todos em palestras (de docentes e de convidados de alto nivel) e discussões científicas; estimular nossos técnicos academicamente, ao invéz de pensar neles como menos bedels.

12 - Falta de locais de alimentação na UnB. Há poucas opções de bom nível (RU e Finatec). Com isso, quem tem que se alimentar no campus tem que "comer porcaria", o que acarreta - longo prazo - danos a saúde. Mas de 1/3 da população adulta do DF sobre de hipertenção ou é pré-diabético. E comer salgadinhos no campus não ajuda em nada. Alem disso, não há programas de prevenção de doenças ligados a medicina do trabalho na UnB. Falta ainda condiçoes decentes de trabalho na UnB em muitos locais. Várias professoras do IB desenvolveram cancer nos últimos anos. Foi mero acaso?

13- Um reitor que publicou apenas 2 artigos científicos em sua vida (e foi nos anos 80) em periódico internacional com corpo editorial rídido (o que a Capes chama de Qualis A). Será ele preparado para ser o representante máximo de uma das 10 mais importantes universidades do Brasil?

14- O que mais falta a nos insultar ? (quem viver verá)

Sou a favor de GREVE , no momento certo.

Agradeço a todos que visitaram este tópico. Pelo visto há muita gente insatisfeita com os rumos da UnB. Muitos são tímidos. Mas não são tolos !

-------------------------------------
E não deixem de assistir ao nosso sétimo talk-show, sobre AIDS e HIV, no site do Ciência Brasil - entrevista de uns 45 minutos com um grande pesquisador da FS-UnB.

www.painelbrasil.tv/home/ciencia
.
Nossos programas já tiveram mais de 2.000.000 de visitantes!

10 mil vaias para Lula em São Paulo

Podcast do Diogo Mainard (Muito Bom!)
http://veja.abril.com.br/idade/podcasts/mainardi/audios/310707.mp3
Estadão:
http://www.estadao.com.br/nacional/not_nac29631,0.htm
Ultimo Segundo:
http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2007/08/04/passeata_antigoverno_reuniu_10_mil_em_sp_estima_pm_952383.html

sábado, 4 de agosto de 2007

Brasiliense gosta de ciência e tecnologia?

Pesquisa no Orkut
(entre 11 de junho e 5 de julho de 2007)


-------------------------------------------------------
Sim, muito! - 111 votes (40%)
Sim, um pouco, mas prefiro política. - 26 votes (9%)
Nem um pouco, prefiro axé ou BBB! - 27 votes (9%)
Ciência? isso é coisa de americano ! Odeio isso! - 16 votes (5%)
Eu sou PTista, e odeio estas coisas de "elite" ! - 21 votes (7%)
Gosto um pouco sim, mas queria poder ver mais. - 75 votes (27%)
---------------------------------------------------------------------
total: 276 votes

http://www.orkut.com/CommPollResults.aspx?cmm=9410&pct=1181574447&pid=1115673213
.
Comentário de um internauta:
"É dificil confiar em sites tipo globo, uol, terra... e em revistas tipo Galileu, Super Interesante, etc. Os confiaveis são chatos e cheios de vocábulos específicos... "

sexta-feira, 3 de agosto de 2007

"Doutores a baixo custo"

Até quando o Brasil vai formar doutores a baixo custo?

artigo de Marcelo R. Pereira e Sustanis H. Kunz
Publicado no Jornal da Ciência, em 2 de agosto de 2007

Não é novidade para a comunidade científica a situação de bolsas curtas e dificuldades financeiras enfrentadas pelos pós-graduandos deste país. Atualmente os valores de bolsas do CNPq e Capes são proporcionalmente muito inferiores aos praticados há 12 anos atrás.

Marcelo R. Pereira, biólogo pela UFOP, é mestrando em Entomologia da UFV; Sustanis Horn Kunz, bióloga pela Unemat, mestre em Ciência Florestal pela UFV, é doutoranda em Ciência Florestal da UFV.

Nas palavras do autor (Marcelo Pereira, na foto):
"Artigo que trata da desvalorização das bolsas de Pós-Graduação no País!Tem todo o retrospecto de desvalorização das bolsas! Com os cálculos de quanto deveria ser o valor atual!Leiam e repassem para seus amigos, colegas, etc!"

quinta-feira, 2 de agosto de 2007

CANSEI !!


Sábado é dia de protesto, as 14 h.
.
Clique na imagem para ampliar e saber mais detalhes sobre os locais de protesto por cidade.
.
Este BLOG de ciência tambem está farto deste (des)governo, do cinismo governamental, da hipocrisia, e das mentiras da "companheirada".
.
O destino deste governo será o mesmo dos Maias, na região do Yucatan, a decadência e o colapso. Mas não queremos ir junto!


------------------------------------------------------------------
E não deixem de assistir ao nosso talk-show sobre AIDS e HIV no site do Ciência Brasil TV.
Dura uns 40 min.

terça-feira, 31 de julho de 2007

Cientistas de Manaus a mercê de idiotas!

Ciência Hoje OnLine - 25/07/2007

Com os dias contados?

Uma região ao norte de Manaus abriga desde 1979 o maior estudo sobre fragmentos florestais do mundo. O projeto compara como o isolamento de pequenos trechos da mata afeta o equilíbrio ecológico na Amazônia e já rendeu mais de 500 artigos científicos. Mas sua continuidade está ameaçada pela colonização promovida pelo órgão público (*) que administra a área.

Para ler mais: http://cienciahoje.uol.com.br/97185
*: Onde trabalham idiotas (nota do MHL)

domingo, 29 de julho de 2007

Talk-show "AIDS e HIV" está no ar !!

Olá internautas

Está no ar nosso 7o talk-show, com o Prof. Dr. Enrique Roberto Argañaraz, da Faculdade de Saúde da UnB, que é um grande especialista em biologia molecular da AIDS.

O Prof Enrique abordará a descoberta da AIDS e a origem africana de seu agente patológico, o HIV-1. Falará ainda de como acontece a infecção pelo HIV sob o ponto vista celular e molecular, como agem as drogas anti-retrovirais, e sobre o controvertido tema da quebra de patentes dos medicamentos anti-HIV - que custam ao Brasil mais de 400 milhões de dólares por ano. Vamos ainda conhecer as pesquisas na área de virologia molecular do Prof. Enrique e sua aplicação na descoberta de novos alvos terapêuticos.

aqui vai o link para o programa:
http://www.painelbrasil.tv/home/ciencia/ciencia.php?id=478

sexta-feira, 27 de julho de 2007

Blog pode ser futuro da publicação científica

Em artigo para o G1 (em 18/04/2007), Stevens Rehen vê mudanças na difusão da ciência.Além de publicação eletrônica aberta, impacto social também deverá ser valorizado.

leia a matéria:

http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL23599-5603,00.html

quinta-feira, 26 de julho de 2007

Um artigo médico inacreditável !

Accidental condom inhalation
.
Arya CL et al (2004)
Jaswant R.S. Hospital, Meerut, India.
.
Vejam o link para o resumo clicando aqui
.
.
.
.
.
ps: Quem achou esta belezura de artigo (no PubMed) foi o Prof. Fernando Araripe, do Instituto de Biologia da UnB. Leia o resumo, vale a pena !!

Obama, sonho americano e (não as) cotas










clique nas imagens para ampliar

Vale a pena ler o texto do escritor Mario Vargas Llosa, publicado no ESTADÃO em 22 de julho de 2007.