sábado, 25 de abril de 2009

Direito de Resposta: Projeto Afroatitude

Leitores,
Tendo em vista a repercussão de um post do início desse mês envolvendo o Centro de Convivência Negra da UnB, estamos publicando o Direito de Resposta. O texto nos foi enviado ontem pela pedagoga Aline Costa, Vice-Coordenadora do Projeto Afroatitude (UnB).
.
Aproveito para deixar claro aos leitores que não publicaremos comentários ofensivos. Na semana retrasada recebi mais de duas dezenas comentários racistas e/ou odiosos que não foram aceitos. Vamos respeitar o direito das pessoas de serem a favor ou contra as cotas: isso se chama democracia e pluralismo.
.
Direito de Resposta
.
No dia 05/04/2009 este blog publicou um post intitulado: "Expulso do Centro de Convivência na UnB. Por que?”, relatando a fala de Francisco Johny, referenciado no blog como participante do movimento negro do Amazonas, que alega ter participado de uma reunião do CCN no dia 31 de março.
.
Em seu relato ele afirma ter sido inicialmente bem tratado pela secretária que o havia convidado para a reunião (reunião esta que em seu início tratara de questões internas do CCN). Francisco afirma em seu texto que quando inquirido sobre sua posição sobre as cotas raciais e respondendo ser contrário a elas, teria recebido "iradas críticas" a seu posicionamento.
.
Ele afirma ainda que a pessoa que o recebera inicialmente o chama "à parte", o informa que a reunião era composta por cotistas e que ela havia solicitado que ele se retirasse da reunião, solicitação à qual ele haveria atendido. Ele termina seu relato questionando as finalidades do CCN.
.
O post é colocado em um blog onde seu idealizador se posiciona publicamente contra as cotas raciais. E ele acha um absurdo o que teria acontecido ao Francisco. E nós, do projeto Afroatitude, que somos a favor das cotas raciais, também acharíamos um absurdo se isso tivesse, de fato, acontecido ao Francisco. Seríamos, inclusive, um dos primeiros grupos da UnB a propor que o CCN fosse processado por um gesto desta natureza.
.
Entretanto, o que Francisco relata não poderia ter acontecido. Os fatos abaixo desmontam a versão de Francisco:
.
1. O Centro de Convivência Negra da UnB não faz reuniões as terças e quintas-feiras. Aliás, ele não tem reuniões regulares com estudantes. (...)
.
Leia o texto na íntegra clicando aqui.

2 comentários:

Anônimo disse...

O que é o CCN? Os alunos da UnB, negros ou não, tratam-no como um racista palácio de cristal. É só?

Anônimo disse...

...please where can I buy a unicorn?