quarta-feira, 29 de abril de 2009

Fundações e perigos da ciência Tupiniquim

Oi pessoal,
Fico irritado quando vejo nobres acadêmicos fazendo discursos apocalípticos de que a ciência brasileira vai acabar sem as fundações de apoio. A foto acima (**) ilustra bem esta visão de FIM DE MUNDO sem as fundações. Mas que tragédia, certo? Errado !
.
Acho que as fundações têm um papel importante sim, mas não se deveria gastar tanta energia na defesa destas. Porem, há coisas muito mais relevantes no cenário científico brasileiro para se preocupar. Uma delas é a questão da má conduta na pesquisa e pós-graduação.
.
Má conduta não é apenas fraude e plágio, mas fazer pesquisas de má qualidade, de publicar lixo - desperdiçando dinheiro público, tudo em nome de "publicar ou morrer".
.
Quantos doutores (PhDs) são formados no Brasil que não têm a menor qualificação técnica? Quantas teses de doutorado, que há 10 anos não passariam nem em um exame de TCC, são defendidas sob circunstâncias suspeitas no Brasil? Seriam centenas ou milhares por ano ?
.
Vamos agora ao texto apocalíptico de Marco Antônio Raupp, presidente da SBPC, publicado no Jornal do Brasil de ontem. Vejam só o título do artigo, como se realmente fosse verdade. Perigo é ter a ciência e educação mais 4 anos nas mãos do PT (e de seus "amiginhos" do PSB).
.
Ciência e tecnologia em perigo
.
Obviamente não se quer que as relações entre as Ifes e as fundações sejam isentas de fiscalização. O problema não é esse; as questões que envolvem as relações das Ifes e suas fundações de apoio são mais amplas e dizem respeito ao desenvolvimento da ciência e da tecnologia – e, portanto, ao futuro do país
.
Clique aqui para ler o artigo na íntegra.
.
Mais: Campanha do lixo
.
** A foto acima mostra pombos comendo restos de comida na comercial da Superquadra 411 N, bem cedo. O cheiro no local me causou náusea na hora de bater a foto. Incrível que apenas eu me senti mal. Todas as pessoas que por ali transitavam pareciam achar a coisa mais normal do mundo a imundice e o cheiro.

2 comentários:

Pinhata disse...

Eu estudo em uma faculdade pública em que o foco principal dela é gerar pesquisa. Lá, existem bolsas para alunos e elas são relativamente altas ( não em valor mas em quantidade), quero dizer com isso, existem muitas pessoas fazendo pesquisa, entretanto para que as pessoas ganhem bolsa os temas de pesquisas são analizados e somente depois de o tema ser aceito por uma bancada a bolsa é aprovada, vejo isso também em instituições como a FAPESP (acho que é uma instituição, corrija-me se estiver errado) é muito difícil conseguir uma bolsa para pesquisa. Mesmo assim existem pesquisas de má qualidade? OU essas pesquisas de má qualidade que você falou seriam pesquisas com bom temas mas com resultados ruins?

It`s Just.
Pinhata!

Anônimo disse...

Saiu no terra uma reportagem similar:

Brasil corre risco de sofrer apagão científico

http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI3769988-EI238,00.html

Isabel