terça-feira, 21 de abril de 2009

Qual o valor do trabalho de REFEREE científico ?

Oi pessoal,
Este é um assunto pouco discutido na comunidade acadêmica, mas que sem REFEREEs ("paraceristas", ou "juizes", como na foto acima), não é possivel haver publicações científicas confiáveis e portanto avanço sólido da ciência.
.
Vou dar um exemplo: Estou neste exato momento cuidando da revisão, como referee, de 4 manuscritos ("manuscrito" é como um artigo científico é chamado ANTES de ser publicado). Só este ano, fui referee de 11 manuscritos no total (**).
.
Do que vale todo este esforço ? Quantos "pontinhos" ganho em minha universidade, no CNPq ou Fapesp por fazer este trabalho ? Se eu estivesse cuidando de NENHUM ou de 20 manuscritos, ao inves de 4, faria alguma diferença ?
.
Lembro que é um problema não exclusivo do Brasil. Não conheço nenhuma agência de fomento do exterior que valorize o trabalho de referee. Não é a toa que a maioria dos pesquisadores fogem como o diabo da cruz quando são convidados para dar um parecer. Mas não é porque o NSF ou o NIH (ambos da terra do Obama) não valorizam referees que devemos fazer a mesma coisa.
.
Há um localzinho no Lattes para você colocar o nome das revistas na qual somos referee ou editor. Mas quem olha para isso? O que está no páreo é o número de artigos que um pesquisador tem e o fator de impacto da revista onde publocou seus estudos.
.
Se a pessoa faz um trabalho de referee por quinzena (bem acima da média nacional nas ciências da vida) não ganha qualquer "pontinho" por isso. Mas está nas mãos dessa pessoa (o referee) o destino de trabalhos que podem mudar paradigmas em sua área na ciência, ou o poder de vetar a publicação de lixo científico (que é o mais aparece nas minhas mãos nos últimos anos...).

Não sei o quanto deveria valer o trabalho de referee para ter um projeto aceito, ter sua bolsa de pesquisador renovada ou passar em um concurso. Mas esta questão precisa ser debatida, e de forma séria. A comunidade científica ficou acostumada a parasitar o trabalho de referee dos outros. Mas está na hora de colocar as mãos na massa (participar mais de trabalhos de referee) e valorizar algo que vale menos que uma balinha Chita !

PS: Certamente não será a Capes ou o CNPq, dominados pelo PT e PSB, respectivamente, que irão fazer algo - é você pesquisador sênior que deveria procurar a valoração de seu trabalho.
.
**: Trabalho de referee em 2009:
1) FEBS Journal, 2) Gene, 3) JEMBE, 5) PLoS One (dois manuscritos), 6) Comp. Physiol. Biochem., 8) J. Comp. Physiol. B (dois manuscritos), 9) Aquatic Toxicology, 10) Canadian Journal of Zoology, e 11) capítulo de um livro da série Progress in Molecular and Subcellular Biology, da editora Springer.

2 comentários:

Clarissa disse...

É, Marcelo, apesar das agências de fomento e a universidade ignorarem esse aspecto do trabalho dos cientistas, esta é uma atividade vital para a manutenção da comunicação na/da ciência e (esperamos) da publicação de trabalhos de qualidade.

Flávio disse...

Recentemente fui convidado para participar de avaliação dada ao meu conhecimento e experiência. Desisti de cara. Porém, dias depois não conseguia fazer mais nada só pensando na recusa. Para encurtar dei meu aceite, agora estou aqui envolvido com o trabalho sabendo que não poderei utilizar desta dedicação em nenhum momento apenas pelo prazer de colaborar